O QUÊ VOCÊ PROCURA?

EXAGERADAMENTE POP! http://www.qualagrandeideia.com/

Mostrando postagens com marcador lista. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador lista. Mostrar todas as postagens

29 dezembro 2015

É Hora da Arte: Selecionamos as Melhores Capas de Álbuns de 2015!

Por em 29.12.15

E aqui chegamos, a seleção das Melhores Capas do ano na nossa opinião. 2015 foi realmente um ano espetacular, talvez, não tenha ousado tanto quanto 2014 na "embalagem" de seus produtos, mas, de qualquer forma, tivemos capaz e conceitos visuais realmente incríveis esse ano!

Esperamos que gostem da nossa seleção e que, caso ainda não conheçam alguns dos nomes da lista, se sintam motivados a conhecer novos artistas através do seu visual - o que é realmente importante quando de vê uma capa por aí e não conhece o artista: achar interessante e comprar!

1 • JALOO - #1 


#1 (número 1), assim com diz o nome do álbum de estreia do paranaense Jaloo, não podia estar em outra posição e presenteou a nós esse ano com um trabalho nacional de primeira e digno do mundo! Na capa iluminada de seu álbum, que tem o conceito estendido por todo o álbum e em alguns clipes de música do trabalho, Jaloo incorpora o seu brilhante lado tecno indígena numa capa colorida, viscosa e pra lá de intrigante. Incrível, bela e intimidante foto - de gerar, no minimo, curiosidade em quem não conhece o cantor, mas chegar a ver essa capa pelas lojas!

2 • FKA TWIGS - M3LL155X 


Essa capa mexeu com a gente esse ano e foi tão impactante, absurda, medonha, mas de uma forma tão elegante, que nos intrigou e fez dar uma chance ao EP M3LL155X. Se não bastasse a capa não foi incrível e icônica por si só, foi hilário ver os fãs e admirados da Twigs reproduzindo suas versões estranhamente mal editadas! Os resultados foram bem sinistros.

3 • KATE BOY - ONE 


Já trabalhando há algum tempo em formar a identidade de sua fase de estreia, com o álbum One, em cima do trabalho do artista Lee Griggs, a forte capa do grupo Kate Boy também teve intervenção de Stewart Armstrong e o resultado final misterioso e mágico, mostrando como se uma extensão desconhecida e invisível de nossos corpos.

4 • MILEY CYRUS - MILEY CYRUS AND HER DEAD PETZ


Miley Cyrus está cada vez mais despregada de obrigações, censura e chatices mais da industria musical. Mais solta a cantora lançou esse ano um álbum gratuito intitulado Miley Cyrus and Her Dead Petz. Para a capa do álbum, assim como em todo o conceito das outras fotos tiradas para o trabalho, a cantora extravasa em fotos nojentas, coloridas, estranhas e deliciosamente naturais. Fabulosa!

5 • MARILYN MANSON - THE PALE EMPEROR 


Bang! Marilyn Manson saiu da ostra! Anos e anos fazendo o de sempre e esperado de um cantor de rock, dessa vez, meio na vibe inovadora de Jack White, o cantor se presenteou e deu um ar moderno e fantástico para o The Pale Emperor que poderíamos esperar de um álbum electrônico do Disclosure, por exemplo! Surpreendente e magnífico.

6 • MELANIE MARTINEZ - CRY BABY


A confusão é enorme, mas, de uma forma estranha funciona muito bem. Tem balões azuis e brilhantes formando o nome do álbum e uma textura de costura por cima de tudo dando um ar envelhecido enquanto as picotadas lágrimas de Melanie se misturam na composição inundando casas e trazendo água de verdade na estruturação da arte... Nossa! Louco. Muita coisa acontecendo, mas, de algum forma, da maneira certa!

7 • BJÖRK - VULNICURA 


Björk NUNCA ERRA. E para o seu álbum Vulnicura se tornou um organismo insignificante, invisível a olho nu e maligno. Sua própria doença, retratada fashion, sinistra e estranhamente formidável. Nos fez se sentir como olhando um peculiar microrganismo através de um microscópio. Fascinante.

8 • NATE RUESS - GRAND ROMANTIC 



E com que bela obra de arte Nate Ruess nos surpreendeu para a capa de seu debut solo Grand Romantic, hein?!

9 • GRIMES - ART ANGELS 


O que poucos sabem é que Grimes é não só uma ótima musicista, mas uma artista visual incrível também e foi responsável não só pela capa mangá de seu novo álbum Art Angels como deu a cada uma das músicas do álbum uma capa diferente, todas de sua autoria!

10 • LA PRIEST - INJI 


Pouco comentado, mas agraciado por quem o conhece, LA Priest lançou esse ano álbum Inji e trabalho nele um conceito redondo e elegante. Classy!


11. Purity Ring - Another Eternity
12. Everything Everything - Get to Heaven
13. Scalene - Éter
14. Passion Pit - Kindered
15. Logic - The Incredible True Story
16. The Magic Whip - Blur
30. Madonna - Rebel Heart
31. Jonas Sá - BLAM! BLAM!
32. Marina And The Diamonds - Froot

E é isso! Amanhã sai nossa lista preferida, com os melhores álbuns do ano! Fiquem ligados.Qual a Grande Ideia? QAGI? www.qualagrandeideia.com www.qualagrande.blogspot.com.br

28 dezembro 2015

Melhores do Ano Qual a Grande Ideia?: Vem conferir nossa lista de Melhores Filmes de 2015!

Por em 28.12.15


Continuando nossas listas de melhores do ano, hoje, como prometido, estamos divulgando nossa seleção de Melhores Filmes de 2015, que sucede a de Melhores Singles do Ano, liberada ontem (27).

Nela, desse ano maravilhoso que foi 2015, teremos desde animações como O Pequeno Príncipe e Divertida Mente à viagens astronômicas de tirar o fôlego com o novo episódio de Star Wars e Perdido em Marte!

Sem mais spoilers, a lista:

10. O PEQUENO PRINCIPE 

Incrivelmente esquecido pela maioria das listas de melhore do ano de 2015, a animação lançada em agosto, merece destaque aqui pela sua sensibilidade em abordar inúmeros problemas sociais de forma tão significante e bonita.

Fora o show de roteiro, a adaptação de um clássico literário que fez multidão chorarem se permite transgredir o já conhecido da série de contos do Pequeno Príncipe e arrasa em todos os quesitos, inclusive no visual.


9. OS 8 ODIADOS 

Se tem uma coisa difícil de se ver nesse mundo é Quentin Tarantino errando. Não só de elenco pomposo e bons efeitos especiais de faz cinema é preciso mais para envolver e encantar e o renomado diretor conhece em essa formula.

Em seu novo e celebrado filme, Os Oito Odiados, a famosa e característica atmosfera "tarantista" está de volta em uma trama muito bem amarrada, de tirar o fôlego e com aquelas reviravoltas de deixar pasmo.


8. BEASTS OF NO NATION

Embora responsável por uma das maiores vergonha cinematográficas do ano, The Ridiculous 6, não podemos tirar o mérito da Netflix por inúmeras outras produções nas quais vem investido.

Uma delas foi a magnifica Beasts of No Nation, que traz em suas exuberantes cenas a chocante história de uma menino forçado a integrar um grupo guerrilheiro liderado por um carrasco general.

Escrito, dirigido, produzido e fotografado por Cary Fukunaga, o filme retrata uma assustadora história que nos fará repensar nossas vidas e hábitos.




7. CHAPPIE 

Para uma grande maioria o humor na produção, sobre o mundo do crime e disputas desonestas pelo poder, passou do ponto e Chappie poderia ter dado um filme ainda mais grandioso se tivesse parado em outras mãos.

Discordamos. Chappie, que conta até com a péssima, mas agradável, atuação do grupo Die Antwoord, é descontraído, fluido e tem um roteiro muito bem amarrado. É o que tem que ser e cumpre muito bem com a tarefa de entreter. Sem falar que, ô robozinho cativante!



6. DIVERTIDA MENTE

Divertida Mente é claramente daquelas animações infantis que funcionam mais com adultos que com crianças - mesmo que também destinada a elas, mas não compreendidas por inteiro pelas mesmas.

Em sua louca e lúdica trama os carismáticos personagens que representam os sentimentos em trabalho no cérebro de uma criança mostram como pode ser conflituoso viver e que se encontrar consigo mesmo, lidando com medos, inseguranças e outros sentimentos pode ser difícil, mas compensa, no final.



5. HOMEM-FORMIGA 

Homem Formiga foi a surpresa do ano. Pelo trailer, fotos e sinopse pouco se dava pela produção que incrementa e finaliza a segunda fase do Universo Cinematográfico Marvel que vem colecionando sucessos.

Enquanto o herói entrava em jogo sem tanta fama e conhecimento prévio do público, vista a popularidade de nomes como Homem de Ferro, Thor e Capitão América, com certeza o pequeno herói conquistou a todo em seu filme debochado, de humor excelente, na medida e roteiro muito mais fascinante, uma vez que não peca pelo exagero, de uma forma clichê, como grandões do mesmo estilo.



4. STAR WARS EPISÓDIO VII: O DESPERTAR DA FORÇA 

Star Wars é uma franquia histórica e qualquer tentativa de continuar mantendo essa épica produção viva é muito arriscada.

Pois, jogando as cartaz, o 7º episódio da intergaláctica franquia ganhou um filme redondinho, cheio de referências as antigas obras cinematográficas e que encheu os fãs do mundo todo de muita felicidade.

Com um show de marketing e buzz em cima do filme, a produção não vem agradando só a cativos, não para de bater recordes e já ultrapassa $ 1 bilhão de dólares arrecadados.



3. PERDIDO EM MARTE

Perdido em Marte é daquele filmes com poucos cenários e, justamente por isso, angustiantes.

A busca pela sobrevivência do astronauta vivido primorosamente por Matt Damon no filme segue a leva de filmes astronômicos que tentam aliviar nossa curiosidade e ambição em descobrir mais sobre os outros planetas de nosso sistema solar.

A produção é de primeira, sua construção instigante e o desfecho de tirar totalmente o fôlego!



2. QUE HORAS ELA VOLTA?

Não precisa gastar milhões de dólares em efeitos especiais para emocionar e tirar o fôlego. Não precisa se americano para angustiar, aliás, Que Horas Ela Volta? é incrível justamente por ser um filme nacional sobre o nosso país e cultura.

Tapa de cara atrás de tapa da na cara. Para fazer repensar, refletir e não agir como tal senhora.

Filme sensível, muito bem estruturado e necessário. Mensagem mais linda do ano.



1. MAD MAX: ESTRADA DA FÚRIA

Sim, foi um estrondo, foi o maior acerto do ano e sim, vamos apontar para o obvio e ser mais um dos inúmeros blogs a dar o título de melhor do ano para Mad Max: Fury Road.

Casting maravilhoso, roteiro instigante, efeitos especiais eletrizantes e tudo tão maravilhosamente desmedido e insano que, executado com maestria, funcionou.

Sem falar que: Charlize Theron (rainha feminista dona e destruidora da porra toda) e Tom Hardy, né mores?



E a lista se completa com os seguintes selecionados:

11. EX- Machina - Instinto Artificial
12. A Grande Aposta
13. Sicário - Terra de Ninguém
14. O Regresso
15. Creed - Nascido para Lutar
16. Tangerina - Red Band
17. Carol
18. A Colina Escarlate
19. Agentes da U.N.C.L.E.
20. Tomorrowland

Esperamos que tenham gostado! A nossa lista de Melhores Capas de Álbuns sai amanhã (29), fiquem ligados!Qual a Grande Ideia? QAGI? www.qualagrandeideia.com www.qualagrande.blogspot.com.br

27 dezembro 2015

60 Melhores Singles de 2015 do Qual a Grande Ideia?!

Por em 27.12.15

Mais um ano está chegando ao fim e com ele vários blogs, sites, portais lançam seus pitacos sobre os melhores da música, cinema, TV etc. E, de fato, 2015 tornou essas escolhas bem difíceis! O ano foi incrível, diverso, misturado e, resumindo, RENDEU!

Assim, a partir de hoje (27), começaremos a divulgar nossas escolhas até o dia 31 de dezembro. Começaremos com os 60 melhores singles de 2015 e seguiremos com as listas de melhores filmes, capas de álbuns, álbuns, eps e, finalmente, clipes!

Sem mais delongas: nossos 60 escolhidos!

60 • TINASHE - ALL HANDS ON DECK


A vibe é maravilhosa e a vontade de se fazer besteira ao som de "All Hands On Deck" quase incontrolável. Se essa fosse uma lista de música mais sensual do ano, Tinashe estaria encabeçando ela! Mas como single, ela abre a nossa lista. A música é sensual, dançante, no ponto e, se usada nos momentos certo, bem perigosa!

59 • GIORGIO MORODER - RIGHT HERE, RIGHT NOW


Giorgio Moroder, da velha guarda do gênero electrônico do mundo da musica, retornou com tudo em seu álbum Dèja Vu, aonde reuniu inúmero artistas de peso em música electrônicas dançantes, animadas e envolventes. A parceria com Kylie Minogue, entretanto, se destaca, mixando o melhor do estilo característico da cantora com seu electro carregado. Moroder trouxe um single fácil de digerir, mas muito bem executado!

58 • YEARS AND YEARS - KING

Cada vez mais famoso, o Years & Years, mesmo super aceito em seu synth pop calmo de inicio, resolveu tornar seu público maior e presentou as pistas com uma faixa dance das boas. Dance, quase que clichê e "mais do mesmo", porém no melhor estilo Years & Years.

57 • DEMI LOVATO - COOL FOR THE SUMMER

Demi Lovato lançou esse ano o sue álbum Confident e depois de decidir que a faixa-título não seria o lead-single do novo trabalho e sim "Cool For The Summer", a cantora ousou em seu flerte com rock, pop e electro, de uma vulnerabilidade mágica em seu som. É previsível, mas explosiva e, de uma forma estranha, soa muito original. Impossível ficar parado quando ela toca!

56 • FIFTH HARMONY - WORTH IT

Se tem uma música que provavelmente ninguém aguenta mais ouvir, mas que não consegue resistir quando (sempre) toca é "Worth It"! Impossível negar a pegada que a faixa do quinteto Fifth Harmony atingiu com a faixa. É pop dos melhores, é original, worth it!

55 • LITTLE MIX - BLACK MAGIC

Por continuar falando em "pop dos melhores", outra girlband, de forma meiga, quase infantil e despretensiosa, lançou um musicão de pegada retrô e enfeitiçou a todos esse ano. "Black Magic" foi magia pura!

54 • NO FRILL TWINS - CYCLIC COWBOY

Indo além com o status "ser estranho", o No Frill Twins é, sem dúvidas, um dos grupos mais excêntricos atualmente na música e, juntas, as gêmeas do duo transmitem isso pras suas músicas de uma forma muito interessante. "Cyclic Cowboy" é faroeste, é robótica, é diferente e indispensável numa boa festa electrônica.

53 • JESS GLYNNE - DON'T BE SO HARD ON YOURSELF

Podemos de fato chamar todas as música de Jess Glynne de hinos. Cantando mensagens de amor, auto-confiança e bem-estar/viver, a cantora não só transmite boas vibrações em suas músicas como faz isso de forma majestosa com seu vozeirão e melodias tocantes. Poderíamos escolher outras faixas do mais recente álbum da cantora, mas "Don't Be So Hard On Yourself" com certeza é um ponto alto que resume bem essa paixão!

52 • TROYE SIVAN - WILD

Troye mal chegou e, sim, já sentou na janela. Sentou, viu uma paisagem linda e escreveu sobre amores avassaladores levando todos nós a loucura. "WILD" é simples, mas muito tocante e envolvente. Suficientemente forte para arrebatar os corações mais rigidos e mostrar que, bem, Troye pode não ser só um novato que temos que ficar de olho, mas já um grande talento, nato.

51 • JIDENNA - CLASSIC MAN

Quem diria que, em pleno 2015, um homem clássico ganharia notoriedade, sendo retrô/antiguado. Pois é, Jidenna, afilhado musica de Janelle Monáe, está sendo e, desde que apareceu, só tem surpreendido com músicas modernas com uma pega retrô e r&b poderosíssimas e inovadoras.

50 • MAROON 5 - SUGAR

É sempre muito engraçado como o Maroon 5, até mesmo quando OK, na média, não soa mais do mesmo, chato, clichê, repetitivo, mas consegue ser divertido, empolgante e envolver. "Sugar" é de fato um highlight de 2015! Ê música delicinha!

49 • DNCE - CAKE BY THE OCEAN

Daí, no melhor estilo Maroon 5, Joe Jonas não só anunciou que estava em um novo projeto chamado DNCE como também estreou com sua nova e interessante banda a animadíssima e descontraída "Cake By The Ocean"!

48 • ELLIPHANT - BEST PEOPLE IN THE WORLD

Essa pode não seu a melhor música do mundo, ou do ano, mas é sim uma das melhores e da Elliphant, que só tem lançado musicão!

47 • ELLIE GOULDING - ON MY MIND

A gente acredita que remix incríveis só são possíveis através de músicas com certo poder em sua composição, pegada, melodia. O real motivo de "On My Mind" nessa lista é: o remix do Metronomy!

46 • MARINA AND THE DIAMONDS - I'M A RUIN

De melodia amena, clima fúnebre, "I'm a Ruin", de Marina and The Diamonds é um tiro no peito, um hino para sofredores, um grito da alma. Música forte, de muito poder e vida.

45 • MELANIE MARTINEZ - PITY PARTY

A festa é dela, ela chora se quiser, poucos compareceram, mas, assistindo a tudo, ficamos comovidos! "Pity Party" é cômica, de certo forma triste, mas sombriamente divertida!

44 • FRANKIE - NEW OBSESSION

A gente realmente esperou que com "New Obssession", nos moldes de sucessos como "Fancy" e "Beg For It", da Iggy Azalea, Frankie fosse avalancar seu ótimo single e explodir nos charts. Bem, não foi o que aconteceu, mas a música não deixa de ser uma ótima releitura de sucessos derivados do sample de "Drop That Kitty" do Ty Dolla $ign.

43 • CHARLI XCX - FAMOUS

Charli XCX se tornou meio easy made e bubble gun depois que suas parcerias na mainstream music abriram espaço para seu trabalho e a levaram a fazer música mais comerciais, mas a cantora conseguiu fazer isso de forma tão debochada, divertida, que não tem como não dar méritos e amar!

42 • FETTY WAP - TRAP QUEEN

A gente ama a música negra, a gente ama um trap, a gente ama um twerk, a gente ama um bom hip hop e "Trap Queen" do Fetty Wap foi um ponto alto do gênero esse ano.

41 • VANBOT - THE WAY YOU SAY IT

Sem lançar álbuns de estúdio desde 2011, a sueca Vanbot voltou sombria, mas muito mais madura em 2015, um de seu mais empolgantes single, animados, mas de atmosfera dark foi a incrível "The Way You Say It"!

40 • LA PRIEST - LADY'S IN TROUBLE WITH THE LAW

vibe é viajada, gostosa e LA Priest definitivamente precisa ganhar mais destaque. Em "Lady's in Trouble With The Law" uma atmosfera veranesca inconfundível e deliciosa nos conduz a outros lugares, experiencia, momentos. Essa música capaz de mudar o clima do seu dia. 

39 • CARLY RAE JEPSEN - I REALLY LIKE YOU


Quem nasceu "Call Me Maybe" nunca... AH! Corta essa. Carly ressuscitou, lançou um álbum bom pra caramba, aclamado pela crítica e o lead-single desse retorno bombástico não podia deixar de estar na lista!

38 • KAROL CONKA - TOMBEI

A música pop tava precisando de um sopro. Nada americanizado, nada funk, nada rouge, nada basic - não que isso tudo não possa ser legal, como é. Mas Conka chegou pra tombar e, adivinha? Tombou.

37 • BRANDON FLOWERS - CAN'T DENY MY LOVE

Conseguir ser bacanudo e retrô em 2015, quando se ploriferam músicas inspiradas em décadas passadas, o que já começa a ficar chatíssimo, não é pra qualquer um e a atmosfera criada por Flowers em "Can't Deny My Love" é envolvente e de mexer com qualquer um!

36 • NAO - BAD BLOOD

Não vai ter Taylor Swift na lists por motivos de: ESTAMOS DE SACO CHEIO! Mas, como não é só de Taylor que se vive o mundo: Nao lançou um musicão inebriante com o mesmo nome.

35 • HURTS - LIGTHS

Não precisa comentar muito. É dar play e se deixar envolver.

34 • LITTLE BOOTS - NO PRESSURE

Little Boots não vinha vivendo momentos muito marcantes ou aclamados desde o lançamento de seu primeiro álbum Hands. Porém parece ter se encontrado e, discutindo a vida agitada do mundo moderno, lançou um álbum todo trabalhado na "vida de escritório" e na disco dance music, pra não dar só aquela fugidinha das cansativas horas de trabalhos, mas da vida em geral, que anda caótica! O álbum Working Girl tem muito mais disso, mas "No Pressure" é sua melhor síntese.

33 • HALSEY - NEW AMERICANA

Todos os anos hinos juvenis são lançados para expressar indignações, medos, dúvidas, expectativas da juventude com o mundo. Lorde, em 2013 com "Royals", por exemplo, conseguiu alavancar a carreira tocando nos pontos certos sobre os conflitos da juventude contemporaneamente. Na mesma perspectiva, talvez um pouco mais acida, Halsey não foi tão longe, mas representou muitos aflitos por aí!

32 • PURITY RING - BODYACHE

O som do Putiry Ring é inconfundível. E "bodyache", impactante em sua angelical construção lirica, deixa qualquer um ávido por mais músicas do duo!

31 • GRIMES - FLESH WITHOUT BLOOD

Nem todos encararam bem o retorno poppy de Grimes. Mas, para nós ela acetou em cheio dando à música o que ela pede comercialmente sem perder seu excêntrico jeito de compor, cantar e fazer música.

30 • GABRIELLE APLIN - LIGHT UP THE DARK

Caótica e dark, Grabrielle Aplin foi uma das artistas que melhor casou um conceito em seu trabalho em 2015. Músicas, fotos, vídeos, tudo tão matematicamente, mas naturalmente, pensado que era inspirador. O único pedido da cantora e da gente com "Light Up The Dark" é que deixe essa música e álbum entrar na sua casa, na sua vida, te iluminar!

29 • FLETCHER - WAR PAINT

Com "War Paint", FLETCHER se lançou como aposta e não fica difícil de entender por quê na primeira execução da faixa. Qualquer um ficaria instigado em ver mais do trabalho da moça com uma música como essas em aposta.

28 • ERIK  HASSLE - NO WORDS

Quase um "Get Lucky", tão clichê, mas tão irresistivelmente envolvente! Talvez o único erro, que nem é tão errado assim, de "No Words", do Erik Hassle, seja se parecer tanto com muito do já ouvimos. Se serve para sanar essa "falha", a voz do moço torna tudo um tanto mais incrível.

27 • MADONNA - LIVING FOR LOVE

As pessoas parecem estar meio cansados de Madonna. Aos 57 anos e com13 álbuns lançados, Madge realmente já fez de tudo e inovar pode tão difícil quanto encontrar a vontade de provar que ainda é a rainha do pop, mesmo sem precisar. Tendo isso em vista, a cantora teve o lead-single "Living For Love" esquecido em muitas listas e foi subestimação desde seu lançamento. É uma pena, sendo a música tão impactante e que remete/assemelha facilmente a hinos outrora aclamados como "Like a Prayer", por exemplo.

26 • NEW ORDER - TUTTI FRUTTI (FEAT. LA ROUX) 

New Order voltou em 2015 com várias músicas parceria com o La Roux e não poderia ter encontrado momento melhor na música para ser o que já foi outrora, "Tutti Frutti" traz o melhor, de forma surpreendente e original, do grupo das antigas.

25 • JACK Ü - TO Ü (FEAT. ALUNAGEORGE)

Taí uma mistura que deu certo. A tendenciosidade dos ritmos criados pelo duo Jack Ü com os característicos vocais de Aluna, do duo AlunaGeorge. Não deu outra, bang, umas da músicas mais envolvente e incríveis do ano!

24 • KYLE - JUST A PICTURE

Talvez Kyle tenha achado para falar sobre a forma como estamos cada vez mais ligados em nossos aparelhos celulares que em nossas verdadeiras relações sociais pode ter saído um tanto infantil. Mas isso não saiu de um todo ruim quando a intenção era realmente aprecer cômico e super divertido. "Just A Picture" deixou o recado!

"You look for likes when you could have love
You look for fans but you could have us
You know its so much bigger babe
Just a picture baby"

23 • JUSTIN BIEBER - SORRY


Desculpas você tem que pedir é caso fique parado ao som desse super hit de Justin Bieber. Só mais um entre todos lançado esse ano? Não, esse é divertidamente mais especial!

22 • RIHANNA - BITCH BETTA HAVE MY MONEY

Dá o premio da bixa! Vibe deliciosa, letra descomprometida com qualquer cagação de regra e, sim, Rihanna sendo Rihanna!

21 • KENDRICK LAMAR - KING KUTA

A gente não consegue entender como, de forma tão despretensiosa e fácil, Kendrick Lamar ganhou 2015. No final das contas isso nem importa, mas sim o poder que a música do cara tem sobre a gente. É só se deixar levar!


20 • ALABAMA SHAKES - DON'T WANNA FIGHT

Não dá pra explicar. O indie do Alabama Shakes já é por demais conhecido de outros grupos, bandas e sucessos, mas soa tão incrivelmente novo, com sua ruída sintetização e vocais arrastados que encontrou as graças de todos em 2015. Uma delícia. 

19 • DIPLO & SLEEPY TOM - BE RIGHT THERE

Mesmo não sendo tão original quanto parece, a parceria de Diplo com Sleppy Tom merece destaque. Cover de "Don't Walk Away" de 1992 do grupo Jade, com sample de "Jungle Jazz" de 1975 do Kool & The Gang e de "That Girl" de 1981 do Stevie Wonder, a música, independente dos derivados, é dançante, envolvente e representa um lado interessante do mercado fonográfico do ano.

18 • OF MONSTERS AND MEN - CRYSTALS

Of Monster and Men sendo Of Monsters and Men nunca é ruim. E Crystals traz uma emocionante e épica construção música nos moldes de já conhecidos e amados sucessos do grupo. Era o que o mundo da música e o fãs pediam. Acertaram, e em cheio.

17 • FEMME - S.O.S.

Depois da pegajosa "High", do ano passado, Femme ficou de certa forma na gaveta e as expectativas de que ela pudesse, antes de tudo, voltar e lançar algo tão bom quanto seu single de estreia meio que morreram. Porém a cantora surpreendeu e lançou a pujante "S.O.S." para se encontrar novamente nas graças de críticos e público.

16 • PETITE MELLER - BARBARIC

Divertida, descontraída, uma animação só! "Barbaric" de Petite Meller com certeza não é pra quem tá pra baixo, mas se estiver, não tem porblema, ela levanta!

15 • CHVRCHES - LEAVE A TRACE

O CHRVCHES criou seu próprio estilo e isso era encantador e intrigante no começo. O trio tinha o próprio jeito de fazer música, sua própria pega, pareciam aliens perdidos no mundo da música, as pessoas amaram o quão diferente era seu som, mas depois de um tempo isso cansou. As bases se repetiam, tudo parecia o mesmo, inovador, mas repetitivo. Até o novo álbum Every Open Eyes trouxe um CHVRCHES mais plural, ainda excepcional, mas arriscando mais, levando sua música mais profundamente. "Leave a Trace" é uma viagem, intensa e comovente.

14 • JANELLE MONÁE - YOGA
Para promover seu projeto Wondaland, Janelle Monáe não só investiu em novos artistas, principalmente em Jidenna, que participa dessa música e está nessa lista, mais acima, como também, e pesado, em músicas de incrível produção e ótima visão sobre o atual cenário musical. Nos presenteou com uma faixa dançante e para as pistas, sem sequer se electro ou trivial.

13 • GENER8ION - THE NEW INTERNATIONAL SOUND PT. II (FEAT. M.I.A.)

De atmosfera nervosa, "The New International Sound PT. II" é, assim como "Borders", também nessa lista, logo abaixo, uma severa crítica sobre o mundo que estamos vivendo e construindo dia apos dia, nos levando a um futuro cada vez mais incerto e pessimista.

12 • M.I.A. - BORDERS

Ninguém teve melhor timing, foi tão urgente e fantástica esse ano quanto M.I.A. ao lançar "Borders" como um grito de socorro em relação ao conflito dos refugiados ao redor do mundo. Seu mais notório single do ano é necessário e traz em sua melodia fúnebre um letra que faz questionar e repensar o mundo que vivemos.

11 • NOONIE BAO - PYRAMIDS




"And now I'm on the top of the pyramids, unwind

And I'm never gonna come back down

So if somebody trying to take me out

Better not be scared of heights"



Convencida e com razão. E não somos os únicos a achar que "Pyramids" merecia estar BEM MAIS NO TOPO.


10 • TOVE STYRKE - EGO
Sueca de apenas 23 anos, Tove não é nenhuma novata do cenário pop da música, mas só esse ano alavancou com o álbum Kiddo, um dos melhores de 2015 de longe. Dele extraiu singles como "Borderline" e a agradável e explosiva "Ego". Faixa mais libertadora do ano!

9 • DRAKE - HOTLINE BLING

Compasso perfeito, sintetização perfeita e, naquele velho caso aonde o vídeo só torna tudo melhor, Drake nos presenteou com um delicioso marco do ano.

8 • JAMIE XX - I KNOW THERE'S GONNA BE GOOD TIMES

O reggae tomou conta do ano. Virou tendência, todos quiseram produzir, mas se apropriar do gênero e criar algo novo e bacana em cima não é algo fácil ou que pode agradar a todos. Porém com "I Know There's Gonna Be Good Times", Jamie XX, junto a YoungThug e Popcaan, criou uma moderna e original versão do electro reggae.

7 • THE WEEKND - THE HILLS

Ninguém pôde com a black noise music de The Weeknd esse ano, era lançar e emplacar, lançar e emplacar, lançar e emplacar. Um desses sucessos, contudo, merece ainda maior destaque. "The Hills" é misteriosa, peculiar e de forma alguma fácil de digerir, não é a aposta que se qualquer outro artista faria para um single de sucesso, porém The Weeknd, confiante de seu talento, fez de seu "melody trap", já incrível por principio, um dos maiores sucessos do mercado fonográfico de 2015.

6 • FLORENCE + THE MACHINE - WHAT KIND OF MAN
Em sua surpreendente progressão musical  "What Kind Of Man", Florence + The Machine consegue entoar anjos, fazer demônios gritar e misturando as melhores de suas características, aclamadas características, com a vontade de mudar, se transformar e inovar, fomos presenteados com uma canção forte e impactante de um jeito inacreditavelmente superior ao que já se esperaria do projeto de Florence Welch.

5 • KWABS - WALK

Kwabs até teve grande reconhecimento pelo álbum Love + War, mas merecia mais, muito mais! Seu poder vocal nos transporta para outras atmosfera e suas músicas de amor são tão poderosas e impactantes que farão qualquer coração apertar. Tambores gritos, batidas vibram e Kwabs consegue ser mais tocante que qualquer outro arte da sua arte de emocionar.


4 • MACKLEMORE & RYAN LEWIS - DOWNTOWN
Ok, você se inspirar no antigo, ser disco, retrô, brincar com o passado. "Tá todo mundo isso nessa mesmo", podem dizer. Mas ninguém fez isso de forma tão plural e divertida quanto Macklemore & Ryan Lewis. Para nós, se "Uptown Funk" foi o highlight trend de 2014, "Downtown" é em quem temos que manter os olhos sobre as perceptivas para 2016! 

3 • ADELE - HELLO

Por quê a gente vai dizer viu? Fazer milhões de vendas segurando uma música só com voz, praticamente, enquanto um piano tímido e batidas contidas conduzem a dramática canção enfeitas por coro de vozes de Adele, hun, não é pra qualquer um.

2 • MAJOR LAZER & DJ SNAKE - LEAN ON (FEAT. MØ)

Dispensa qualquer comentário só pelo título de música mais escutada de todos os tempos.

1 • NEON INDIAN - ANNIE

Vocês podiam estar esperando qualquer outro single, ou talvez nem conheçam "Annie". Se esse segundo for o caso, bom, tenho o MAIOR prazer de apresentar a música que não só sintetizou muitíssimo bem ano de 2015 como lançou tendências para 2016.

"Annie", do álbum VEGA INTL. Night School, é completa, dançante e de uma agressividade vibrante e poderosa. Seus riffs, arranjos, construção são muitíssimo bem casados e condensam letra, voz e melodia em tremenda atraente harmonia. Single de 2015, para nós, sim!

É isso, que venham mais singles espetaculares em 2016! Amanhã, 28 de dezembro, nossa lista de melhores filmes será liberada, fiquem ligados!
Qual a Grande Ideia? QAGI? www.qualagrandeideia.com www.qualagrande.blogspot.com.br

31 outubro 2015

14 filmes incríveis, MUITO ASSUSTADORES e nada óbvios para você assistir nesse Halloween!

Por em 31.10.15

O cinema está em crise e não é de hoje. Remakes surgem aos montes, os reboots vem ganhando cada vez mais força e procurando seu espaço com recontações horrendas de história e, no desespero, produtoras estão saindo de suas caixas e procurando novos escritores, histórias e enredos que fujam do usual e possam arrancar dos espectadores uma suspiro de "que puta filme massa!".

Sabendo-se e vivendo isso tudo, muitas vezes tendo que engolir histórias/roteiros terríveis e se contentar com uma produção bacaninha, o que mais nos estamos é de saco cheio, e recorrendo cada vez mais ao cinema alternativo, ou independente, que tem histórias fantásticas nos bolsos, ignoradas pela industria cinematográfica de grande porte e que são, no final das contas, produzidas com o que se tem e, por isso, acabam se tornando mais atraentes, fascinantes e surpreendentes - em seus arranjos.

Conscientes disso, agora indo ao ponto, amanhã, 31 de Outubro, é Halloween (BOO!) e nós selecionamos 14 filmes  incríveis, MUITO ASSUSTADORES e nada óbvios para se assistir e ficar sem vontade de pisar fora da cama de madrugada (mesmo que morrendo de sede ou vontade de ir no banheiro) ou muito, muito, muito chocado - por quê terror psicológico é o que há e faz refletir! 

Avisamos logo que, não começamos esse post com toda essa discussão sobre a chatice que anda o cinema atualmente à toa. Na lista não terão filmes com, por exemplo, o velho e batido desenrolar da família de classe média alta americana que se muda para um nova, grande e assombrada casa aonde, um a um, os personagens vão morrendo ou o filho mais novo e encapetado precisa receber uma oração de um padre arregão. 

Por favor, "easy to make" cinema, mais reviravoltas sinistronas!




 1  A Colina Escarlate (Crimson Peak)

Duração: 119 min | Censura: 16 | Ano: 2015 | Nota no IMDB: 7,0


Vamos começar de leve, sem pegar tão pesado, pra não fechar os olhos muitas vezes enquanto assiste e até rir em algumas cenas que não devem ser levadas a sério.

A Colina Scarlate (Crimson Peak) é o mais recente filme do premiado diretor Guillermo Del Toro que trás em seu bem amarrado enredo atores como Tom Hiddleston, Mia Wasikowska e Jessica Chastain.

Para o diretor do longa, Del Toro, o filme não se trata de um terror pois, em suas palavras, "É um romance encharcado de sangue (...) É uma história psicológica. Eu acho que se você for assistir esperando por sustos ininterruptos, ou para que o filme funcione como um longa de terror, você não vai se engajar ao que o filme está tentando ser, que é um romance gótico super produzido."

E isso fica mesmo nítido no filme, tanto que ele não foi vendido/publicizado como um terror, mas sim como um romance bem macabro -  o que pegou muitos espectadores de surpresas e, confie na gente, vai te pegar também. Tem muito susto, sangue e momentos macabros sim!

Ah, vale MUITO a pena ficar de olho e apreciar os fantasmas criados por Del Toro, mesmo que medonhos, o trabalho artístico em cima deles é incrível. De encher os olhos de tão lindo, mesmo que horripilantes!



Sinopse: "Apaixonada pelo misterioso Sir Thomas Sharpe (Tom Hiddleston), a escritora Edith Cushing (Mia Wasikowska) muda-se para sua sombria mansão no alto de uma colina. Habitada também por sua fria cunhada Lucille Sharpe (Jessica Chastain), a casa tem uma história macabra e a forte presença de seres de outro mundo não demora a abalar a sanidade de Edith."



 2  Sobrenatural: A Origem (Insidious: Chapter 3)

Duração: 97 min | Censura: 14 | Ano: 2015 | Nota no IMDB: 6,2


Também desse ano, o terceiro capitulo da série Sobrenatural (Insidious: Chapter 3) é recheado de clichês, porém, mesmo que tenha um desfecho aguado e que deixa um tanto a desejar, de tão meloso e fora de contexto, o filme trás demônios e formas de assustar bem inusitadas. Digamos que, com sequências nada moderadas de sustos, o filme, que até demora pra dar as caras de seu terror, reformula clássicos do terror explorando e reproduzindo-os em novas situações muito interessantes, como um ataque do demônio a luz do dia! E, sim, essa cena é terrível.


Algo relevante e motivador sobre a história? A protagonista dela perde os movimentos da perna durante o desenrolar do filme, o que a impede de se defender do capiroto e mata a gente de aflição. Enfim, já falei demais, paro por aqui.

Assista ao trailer:



Sinopse: "Em eventos anteriores aos apresentados em Sobrenatural, Sean Brenner (Dermot Mulroney) e a filha, Quinn (Stefanie Scott) são aterrorizados por entidades misteriosas. A especialista em fenômenos paranormais Elise Rainier (Lin Shaye) se envolve no caso e busca uma forma de livrar a família do demônio."


 3  Excision

Duração: 81 min | Ano: 2012 | Nota no IMDB: 6,1


Imagine uma garota problemática e muito sinistra que tem, em todas as suas frenéticas e atormentadas noites, sonhos terríveis, mas cômicos de tão alegorizados. Essa é Pauline no filme Excision



Não poderíamos descrever os sonhos/pesadelos da garota, sanguinarios e linkados com o que ela vai vivendo no passar da história, como uma louca e performática produção com direção da Gaga - você leu corretamente. É trash, mas super fashion e glamouroso (creia, isso é possível).

Pauline realiza todos os seus desejos em seus sonhos e nós podemos experimentar tudo com ela.


Sinopse: "Uma perturbada e desiludida estudante cujas aspirações na carreira de medicina vão ao extremo para ganhar a aprovação de sua mãe controladora."


 4  A Invasora (A L'intérieur)

Censura: 18 | Duração: 82 min | Ano: 2007 | Nota no IMDB: 6,9



Não, essa acima não é a estranha da Carrie, mas a personagem Sarah, uma jovem fotógrafa, que resolve passar a noite de natal sozinha.

Com seu bebê para nascer tudo que ela mais queria era apenas uma tranquilo período natalino, organizando sua vida, longe do stress, enfim no tédio induzido mesmo. Porém, histórias mal resolvidas de um passado que ela já preferiu esquecer, voltam violentamente a tona querendo vingança e uma misteriosa mulher, envolvida na tal história do passado de Sarah, mas que ela sequer conhece, faz de tudo para conseguir o que quer da jovem.



Sinopse: "Sarah, uma jovem fotógrafa, está sozinha na noite de Natal. Ela está assim desde que seu marido morreu num acidente de carro. Só e grávida, recebe apenas as visitas de sua mãe dominadora e de seu chefe egocêntrico. A noite de Natal é o último dia antes de ir para o hospital ter seu bebê. Mas o silêncio de sua casa é quebrado quando uma misteriosa mulher bate à sua porta. Sarah desconfia e não atende. Todavia, a mulher se recusa a ir embora. Quando as coisas começam a se complicar, Sarah fica temerosa e chama a polícia, enquanto a mulher a observa pela janela."


Não espere pouco sangue. Não espere pouco absurdo.


 5  Alta Tensão (Hauten Tesion)

Duração: 91 min | Censura: 18 | Ano: 2003 | Nota no IMDB: 6,9



Esse é, sem duvidas, um dos filmes de terror que mais mexeu comigo, que aqui escrevo, em toda minha vida, High Tension é, antes de tudo, um filme difícil de se entender, mas, quando você atina para tudo que ele significa e quis passar, pode ter certeza: não ficará chocado só com todo o sangue derramado na trama, mas com o caos psicológico que o envolve.



Sinopse: "Marie e Alexia são amigas e companheiras na universidade. Num final de semana, Alexia leva Marie para a fazenda de seus pais, mas elas não imaginam que um inferno baterá a sua porta, e que a ida até a fazenda trará conseqüências drásticas e sombrias."



 6  A Serbian Film - Terror Sem Limites (Sprski Film)

Duração: 104 min | Censura: 18 | Ano: 2010 | Nota no IMDB: 5,3



Enquanto o número 5 foi o mais difícil de esquecer, o 6, filme dirigido, produzido e escrito, na época, pelo estreante Srdjan Spasojevic, é, sem duvida, o mais difícil de digerir. 

As atualizações de "como esse cara conseguiu pensar um filme desses" estão atualizadas e sem previsão de nova versão.



Sinopse: "o filme conta a história de Milos, um ex-ator pornô que está longe do negócio e vive com sua esposa e filho. A situação não é tão fácil com a crise econômica e, portanto, aceita a oferta de um antigo colega da indústria e uma estrela de cinema XXX. Lá você vai descobrir que as intenções do diretor de ir além do simples ato erótico."




 7  Mártires (Martyrs)

Duração: 99 min | Censura: 18 | Ano: 2008 | Nota no IMDB: 7,1



Um filme louco, com uma reviravolta louca e um final mais o louco ainda. Uma palavra pra esse filme? Loucaço. E assustador por fazer você pensar que pode ter gente no mundo passando pelo que as personagens da trama passam. Teorias são explicadas, experiências são feitas para se chegar ao objeto dessas teorias e nós espectadores assistimos agoniados a cada segundo delas.

Um filme cheio de mistérios, sofrimento e insanidade.


Sinopse: "França, começo dos anos 70. Lucie uma garota de 10 anos, esteve desaparecida por um ano quando é finalmente encontrada numa estrada, louca e desorientada, sem conseguir contar o que aconteceu. Seu corpo apesar de maltratado não tem indícios de violência sexual, então é levada a um hospital onde se afeiçoa a outra garota chamada Anna, que passa a cuidar dela e estreitar os laços de amizade para que supere a experiência traumática que viveu. 15 anos depois, Lucie está completamente fora de controle, em busca dos responsáveis por todo aquele sofrimento, envolvendo Anna em acontecimentos com consequências imprevisíveis."


 8  Sem Razão (No Reason)

Duração: 78 min | Censura: 18 | Ano: 2010 | Nota no IMDB: 4,3



Esse filme é, antes de mais nada, muito ruim. Não à toa ele tem a nota mais baixa no IMDB desse post e, sim, estamos indicando um filme péssimo. A história é confusa, sem sentido e, com um roteiro mal amarrado, a produção não consegue passar de um fatídico progresso monocromático (cada estágio até o fim do filme é reproduzido em uma cor diferente, cada cor tem um significado) e aterrorizante  da protagonista Jennifer até a cor branca (mistura de todas as cores, sua salvação).

Enfim, o filme tem uma ideia muito bacana, mas mal executada. Indico esse filme por motivos de: nojeira estrema. Tem que ter muito estomago pra assistir cenas pesada, com muito sangue, mas contextualizadas em uma péssima história.


Não tem o trailer do filme, mas tem ele completo (acima) no You Tube, então, né? Aproveitemos.

Sinopse: "De repente, Jennifer é arrancada de sua confortável e imperceptível vida. Enquanto planejava sua mudança, a jovem mãe e seu marido irão passar por algo indescritível. Se a morte é a salvação, você verá a luz..."


 9  Assim na Terra Como no Inferno (As Above, So Below)

Duração: 93 min | Censura: 16 | Ano: 2014 | Nota no IMDB: 6,1



Não dava nada pelo filme, o desenrolar dele, por bem amarrado que seja, com uma trama até interessante de amigos exploradores loucos que querem mexer com o que não devem na cidade esquecida debaixo da grande Paris, é um tanto quanto cansativo, mesmo que agoniante. Mas o seu desfecho é tão inesperado, depois de uma sequência de chatices e a expectativa/certeza de um final morno, que vale a pena.



Naquela perspectiva de câmeras amadoras, como em Atividade Paranormal, pode esperar uma grande produção, bons e horríveis sustos apresentados propositalmente em sinistro amadorismo e baixa qualidade.



Sinopse: "Um grupo de arqueólogos está em busca de um tesouro perdido e, para isso, exploram o desconhecido labirinto de ossos nas catacumbas abaixo de Paris. Aquela região, conhecida como a cidade dos mortos, revela um segredo que mexerá com a psique humana de modo que os demônios pessoais de cada personagem voltarão para assombrá-los."


 10  Sem Saída (Eden Lake)

Duração: 91 min | Censura: 18 | Ano: 2008 | Nota no IMDB: 6,9



Adolescentes malvados, mimados e de sangue frio fazem O INFERNO com um casal que só queria um fds relax à beira do lago, porém vão sofrer muito e fazer a gente tremer de agonia em Eden Lake.



Sinopse: "Steve planejou um fim de semana romântico com sua namorada Jenny, à beira de um belo lago, onde pretende pedir a mão dela em casamento. Logo que chegaram, foram incomodados pela presença de adolescentes arruaceiros, que não gostaram nem um pouco dos visitantes. Depois de um acidente entre os grupos, o líder da gangue adolescente, Brett, instiga seus amigos a apedrejar o carro do casal e segui-los pela floresta. Em pouco tempo Steve é pego, amarrado e torturado pelos garotos. Jenny assiste a tudo e tenta fugir para buscar ajuda e salvar a sua vida e de seu noivo."

O final desse filme é muito chocante e executado na produção de uma forma muito tensa para nós espectadores!


 11  Bedevilled (Kim Bok-nam Salinsageonui Jeonmal)

Duração: 115 min | Censura: 18 | Ano: 2010 | Nota no IMDB: 7,3



Poderíamos descrever, de simples maneira, como um terror feminista. Esse sanguinário, violento e triste filme trata, sob certa perspectiva, sobre cansaço e revolta da mulher diante a opressão. Você vive, vibra e se entrega por inteiro a protagonista da história esperando que tudo dê certo pra ela a partir do momento que ela diz "basta"  e resolve extravasar toda angustia presa em anos de silêncio empunhando sua foice.


Sinopse: "Hae-Won, trintona da cidade que após ter vivido várias complicações na sua vida quotidiana, decide retirar-se por um tempo na ilha remota onde costumava passar férias em criança com os seus avós. Uma vez chegada ao destino, reencontra Bok-Nam , uma mulher com quem teve uma amizade de infância. Mas Hae-Won rapidamente percebe que Bok-Nam vive um autêntico pesadelo na ilha."


 12  Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet (Sweeney Todd: The Demon Barber of Fleet Street)

Duração: 116 min | Censura: 16 | Ano: 2007 | Nota no IMDB: 7,5



Nada mais que uma obra prima do Tim Burton. Alias, mais uma delas, só que essa, mesmo que classuda e elegante, macabra e regada a muito sangue.


Sinopse: "Benjamin Barker (Johnny Depp) passou 15 anos afastado de Londres, após ser obrigado a deixar sua esposa e sua filha. Ele retorna à cidade ávido por vingança, agora usando a alcunha de Sweeney Todd. Logo ele decide ir à sua antiga barbearia, agora transformada em uma loja de fachada para vender as tortas feitas pela sra. Lovett (Helena Bonham Carter). Com o apoio dela Todd volta a trabalhar como barbeiro, numa sala acima da loja. Porém o grande objetivo de Todd é se vingar do juiz Turpin (Alan Rickman), que o enviou para a Austrália sob falsas acusações para que pudesse roubar sua mulher Lucy (Laura Michelle Kelly) e sua filha."


 13  Ex Bateirista (Ex Drummer)

Duração: 90 min | Censura: 18 | Ano: 2007 | Nota no IMDB: 7,1



Esse filme de 2007 que vai ser tudo, menos fácil de assistir até o final! Não se trata exatamente de um terror, é mais uma trama psicótica e MUITO doentia, mas tem, nos delírios alucinantes dos personagens, sua cota de terror.


Sinopse: "Baseado no romance degenerado de mesmo nome do novelista e poeta flamengo, imensamente popular, Herman Brusselmans, 'Ex Drummer' é como uma checklist das obsessões do escritor belga, notoriamente álcool, sexo, inaptidão, enfado, violência, punk rock e o mais esquálido e sórdido de violência imaginável.A história é simples e ao mesmo tempo estranha e até engraçada.Quando o conhecido escritor Dries é abordado por três músicos inválidos que pedem que ele seja o baterista na banda deles, termina ficando intrigado e concorda. Cada um dos parceiros de banda tem suas próprias excentricidades e psicoses e lentamente Dries começa a gostar de estar neste mundo, enquanto a banda prepara sua única apresentação, em um festival de rock local. Um dos integrantes é quase surdo, o outro não pode mover um braço e o terceiro é um estuprador e um assassino. Dries, por sua vez, é um autêntico niilista sarcástico e acha que pode encontrar nisso um bom material para escrever seu próximo livro. O problema é que ele não é inválido e neste momento tem início sua manipulação. Com o passar do tempo, com os ensaios, ela se torna mais óbvia, provocando os piores instintos nos parceiros de banda. Um filme com um senso de humor malicioso, que é capaz de mostrar também como os mecanismos do sistema social contemporâneo conduzem a um tratamento desumano dos ‘menos’ favorecidos. O que não o deixa menos controverso."


 14  Fome Animal (Braindead)

Duração: 90 min | Censura: 18 | Ano: 1992 | Nota no IMDB: 7,6


Para finalizar, mas não menos fortemente indicado, a produção de 1992 Fome Animal.

O mais interessante desse clássico terror/romance/comédia é pensar que sua trash e astronômica produção se deu há 23 anos atrás. Tem muito sangue, cenas nojentas e, de todas as indicações dessa lista, essa séria a única recomendada para se assistir sozinho e pra se bolar de rir!

Deformed Baby e Macaco-Rato são hilários! 


Sinopse: "Lionel (Timothy Balme) é um rapaz muito tímido e é totalmente submisso a sua mãe (Elizabeth Moody), até ela ser mordida por uma macaca-rata de Sumatra, que tem uma doença que transforma pessoas em zumbis, assim sua mãe sai matando e comendo animais e pessoas, deixando sua desajeitada vida ainda mais de cabeça pra baixo. Lionel tenta esconder o fato, principalmente da moça por quem está apaixonado, mas a peste acaba se alastrando rapidamente."

O filme está disponível por completo no You Tube:


WEEK TOP POST!

Todas as imagens publicadas nesse site são retiradas da internet. Caso você tenha direito sobre alguma delas e queira que essa seja devidamente creditada ou, até mesmo, excluída, entre em contato para pronta operação. Programação e Design por Roberto Júnior.