O QUÊ VOCÊ PROCURA?

EXAGERADAMENTE POP! http://www.qualagrandeideia.com/

23 novembro 2013

Quando o Rock influenciando o Pop vai muito bem!


A globalização está mesclando tudo e já não é mais possível de diferenciar, generalizar ou enquadrar um artista, banda em um gênero musical.

Pop, eletrônico... Dubstep, rock... Nem mainstream e alternativo se diferem mais, uma vez que o meio comercial se aproprio das ideias malucas, estranhas e encantadoras do mundo musical alternativo, cada vez mais procurado por um publico saturado da mesmice forofística - basta olhar o crescente número de artista alternativos encabeçando o topo dos charts nos últimos anos.

Parabéns Lorde, felicitações Gotye. Mas o assunto aqui, agora, não será o seu mundinho alternativo e sim o bom e velho Pop Rock (ou o contrário, no caso), uma mistura que dá certo não de hoje e já se confunde há tempos, antes das multigenarilização da música. 

Confira abaixo algumas músicas de cantores/bandas pop que se apropriaram do gênero/estilo rockeiro e, bem, acertaram muito!

http://www.newsgab.com/attachments/celebrity-pictures/45066d1172402488-britney-spears-shaved-head-green-umbrella-going-crazy-britney_spears_05.jpg

Britney Spears não só se fez de rocker, como viveu o rock, com toda sua intensidade e estilo. Sentiu na pele, na vida, em todos os sentidos, e conseguiu deixar um clássico ainda mais clássico, chegando a "classicar" um clássico 2 clássicas vezes (sim!).

Da primeira vez em 2002, com o single "I Love Rock 'N' Roll", original de Joan Jett, para o álbum Britney e o filme Crossroads:



E depois, em propaganda da Pepsi, com dois nomes de peso na época e ainda mais hoje em dia (também divas do pop inspiradas, uma mais e outra principalmente em suas turnês que não dispensam solos de guitarra, pelo rock) P!nk e Beyoncé:




Falando em P!nk, vamos á P!nk - a incógnita. A cantora conhecida por seu estilo essencialmente roqueiro, mas de músicas alegrinhas como "Stupid Girls" e "Get The Party Started", sempre misturou rock e pop como poucos conseguiram fazer, criando uma identidade própria que a marcou e consagrou.

Só que, mesmo com uma pegada pop indiscutível, é difícil achar uma música da cantora, que não as baladas românticas, sem a agressividade de baixos e guitarras. Podemos listar vários exemplos (como "Trouble", "U + Ur Hand", "So What"...), mas minha preferida mesmo é "It's All Your Fault", que ilustra MUITO bem essa diversidade/estilo memoroso da cantora. Break, pop, R&B, sei lá, acho que um pouco de cada estilo, não se pode determinar ao certo, mas tem rock é claro e nessa música, nossa... é muito bom!



P!nk consegue deixa o rock, cada vez mais esquecido, agradável, viciante e vendível. Quase todas as suas músicas são um ótimo exemplo.

http://celestonews.com/wp-content/uploads/2012/08/Avril.jpgSeguindo a linha P!nk, só que mais perdida e atualmente quase que totalmente baldeada ao pop e entregue a indústria, as músicas de Avril Lavigne, já gothic princess e patricinha, sempre tiveram um quê de rock, mas as faixas com essa pegada da cantora dispensam apresentações, a moda agora é farofar gostoso, então vamo que vamo:



Assim, amarrando os pontos, bem, acho que todos sabem, ou deduzem que o dubstep, ritmo em alta atualmente e usando em "Hello Kitty" da Avril, deriva do rock - digamos que o dubstep é um rock remix.

E entrando numa vibe mais alternativa... Tem coisa mais rocker, louca e pauleira que Skrillex, um dos melhores, e gênio, do gênero?


De alternê para alternê, The Tings Tings surpreendeu a todos no ano passado. Com críticas bem negativas aos seus álbum por grandes sites especializados, o duo pop teve em contra partida grande aceitação do público e com hits imperiosamente pop do primeiro álbum, com batuques, tambores e riffs alegrinhos, como "Great DJ", "That's Not My Name" e "Shut and Let Me Go", e no segundo, para tentar corrigir o que a crítica alternativa desprezou no primeiro, entraram com força no rock e agregaram esse genêro a suas faixas e visual.

O segundo álbum do The Ting Tings, Sounds From Nowheresville, é agressivo, rocker e me agradou em sua nova proposta underground - mas continuou desagradando a crítica, Pitchfork, por exemplo, deu 1 (UM) para o álbum rs.

"Give It Back" é a faixa que melhor representa o último trabalho do duo e essa nova proposta, digamos, \,,/, rs



http://static4.businessinsider.com/image/523c71b76bb3f7247f8d4db4/the-nfl-is-suing-rapper-mia-for-her-superbowl-middle-finger-and-she-is-having-none-of-it.jpg
Uma artista que sempre teve  MUITOS motivos pra ser rockeira foi M.I.A., agressiva por natureza e revoltada com a nossa sociedade descriminatória e capitalista, a cantora que se confirmou com umas das mais interessantes artistas do século com suas batidas e influências hindu-africanas resolveu no mais irreverente de seus álbuns, já pelo nome, o /\/\/\Y/\, fugir um pouco do orientalismo e focar na crítica, pesada, diga-se de passagem, a industria da música, governo, internet, sexo e sociedade.

No MAYA (/\/\/\Y/\) seu terceiro álbum de estúdio, M.I.A. apostou no rock e acertou com "Meds and Feds" e "Born Free", surpreendentes, pela cantora nunca ter feito nada parecido antes, e bastante impactantes:

Meds and Feds


Born Free



Essa, também louca e irreverente por obra de Deus, ou do papi, cof cof, mas não tão revoltada com os problemas do mundo circundante (rs), sempre foi influenciada pelo rock e aplicou isso e sua paixão pelo estilo não só em sua música, sendo o rock pouco marcante no inicio de sua carreira, mas também em seu "estilo de vida" e visual.

Tendo seu nome artístico vindo de uma música do Queen, um dos maiores ícones do rock, Gaga vem gradativamente aumentando a participação desse estilo em sua músicas.

Vários exemplos podem ser citados, rock está intrínseco nas musicas de Gaga até não tão explicitamente, mas de marcante, pra mim, vejo "You and I", "Bad Kids" e mais recentemente a maravilhosa "MANiCURE" e "Mary Jane Holland":

MANiCURE


Mary Jane Holland


Pra fechar, a rainha do pop provando que também manda bem no rock, o que não é surpresa e seria  absurdo se não arrasasse, pois com todos esses anos vividos, na música, Madonna conheceu muito rockeiro e adquiriu bagagem suficiente para transformar um rap pop (feat. Nicki Minaj) em rock na MDNA Tour, "I Don't Give A":



E vocês, lembra de mais alguns exemplos do pop no rock?

Comente:

WEEK TOP POST!

Todas as imagens publicadas nesse site são retiradas da internet. Caso você tenha direito sobre alguma delas e queira que essa seja devidamente creditada ou, até mesmo, excluída, entre em contato para pronta operação. Programação e Design por Roberto Júnior.