O QUÊ VOCÊ PROCURA?

EXAGERADAMENTE POP! http://www.qualagrandeideia.com/

14 abril 2013

Psy lança “Gentleman” e faz sua aposta para consolidar uma carreira de sucesso mundial!


Algum tempo atrás eu li um artigo sobre como as próximas décadas seriam dominadas pela música proveniente do hemisfério sul. Nós vimos a invasão do cantor brasileiro Michel Teló e o seu hit de incontestável sucesso “Ai Se Eu Te Pego”. Mas principalmente vimos um sul coreano despontar na internet com um dos materiais mais acessados de todos os tempos ocupando espaço nas paradas mundiais á frente de diversos artistas já renomados e de fama internacional. E o melhor tudo, cantando na sua língua materna, uma quase crítica social sobre o estilo de vida da classe média sul coreana.

Psy é sem dúvida a maior expressão musical oriental dos últimos tempos. O único que se mostra autêntico num cenário onde todos os artistas são moldados á ferro e fogo pela indústria fonográfica local e quem sair da linha tem a carreira abreviada. Sempre com bom humor, ele faz agora o seu teste de fogo com a música “Gentleman”, que em parte segue a fórmula já consagrada de “Gangnam Style”. Ainda mais cômico, ele encarna exatamente o antônimo do nome da música. As coreografias continuam engraçadas e a calça saruel marca presença novamente, assim como as beldades coreanas.

A música tem tudo para emplacar novamente. Não sei se a tensão entre a Coréia da Norte irá influenciar na relevância de Psy no território americano, tendo em conta que o país dele é um dos aliados dos Estados Unidos. Eu torço pra que dê certo, embora admita claramente que como artista e músico ele não me satisfaz. Mas fico feliz de ver que é possível que nem tudo na indústria do entretenimento tenha que sair apenas dos Estados Unidos.



Comente:

WEEK TOP POST!

Todas as imagens publicadas nesse site são retiradas da internet. Caso você tenha direito sobre alguma delas e queira que essa seja devidamente creditada ou, até mesmo, excluída, entre em contato para pronta operação. Programação e Design por Roberto Júnior.